SERVIDOR DE DOWNLOADS PARA TÉCNICOS!

É técnico? Então você precisa estar atualizado com um serviço de downloads exclusivo e profissional. O Clan SOFT é essencial para técnicos que não tem tempo para ficar procurando firmwares, softwares e procedimentos pela internet, como você.

www.clansoft.net/dl/

Entre para seguir isso  
Seguidores 0
Reginaldo SanTana™

10 recursos que fazem falta no iOS 4.2

1 post neste tópico

Apesar de trazer muitas novidades, especialmente para o iPad, novo sistema operacional deixou de lado muitos pedidos dos usuários da Apple.

Agora que o aguardado sistema iOS 4.2 já foi liberado gratuitamente, dia 22/11, e já vimos quais os seus melhores novos recursos, é hora de ver o que a Apple deixou de fora desta vez (nada mais justo, certo?). Veja abaixo nosso "Top 10" de recursos que ainda fazem falta no novo sistema operacional móvel da companhia:

-Notificações melhores

As notificações de push foram uma adição bem-vinda no iOS 3, permitindo que aplicativos e serviços te notifiquem – por meio de alarmes e mensagens na tela – sobre eventos, atualizações e outras informações. Mas vamos ser honestos: o recurso de notificações do iOS é muito ruim. Só é possível aparecer uma notificação por vez na tela do seu aparelho – se você não conseguir ler uma mensagem antes que chegue outra, você normalmente acaba perdendo a primeira.

E não se esqueça daquelas vezes em que você tirou seu iPhone do bolso ou da mochila e realizou o habitual movimento de deslizar o dedo para destravar o aparelho...apenas para perceber que havia uma notificação na tela que você nunca mais verá. Ou aquelas outras em que você está assistindo a um vídeo ou jogando um game e uma notificação aparece – se é algo que exige uma ação, você normalmente precisa parar o que está fazendo e mudar para outro aplicativo, porque se você descartar a notificação, não poderá voltar e revê-la depois (quando elas aparecem, você precisa lidar com elas).

Como notamos em nossa lista de desejos para o iOS 4 no início do ano, a Apple faria bem em passar um tempo com alguns aparelhos de sistemas webOS e Android, que lidam com notificações de forma muito mais elegante.

-Multitarefa aprimorada

Talvez a maior melhoria entregue pelo iOS 4.0 tenha sido a multitarefa, que te permite “rodar” mais de um aplicativo por vez. A palavra está entre aspas porque, na maior parte das vezes, apenas um app está realmente rodando a todo o momento. Outros aplicativos, a maioria dos quais está essencialmente dormindo, aparecem na lista de multitarefa do iOS 4 (acessível ao se apertar duas vezes o botão Home) para mudança rápida de tarefa.

A Apple fornece alguns toques de API (interface de programação de aplicações) para permitir tarefas limitadas em segundo plano – como deixar um app de foto terminar de fazer upload de fotos para o Flickr, ou habilitar um aplicativo de áudio para realizar streaming de música – mas programas que não fazem parte do estreito alcance dessa funcionalidade são deixados “de lado”.

A Apple não forneceu multitarefa de verdade por causa de preocupações com desempenho e duração de bateria. E nós entendemos isso – na verdade, gostamos disso. Mas agora que provamos um pouco de multitarefa, gostaríamos de ver a companhia estender o recurso para permitir alguns outros tipos de tarefas. Por exemplo, gostaríamos de aplicativos para consumir conteúdo baixado – leitores RSS, clientes de Twitter, novos apps e, é claro, o Instapaper – para poder realizar regularmente o download de conteúdo atualizado em segundo plano, em vez de nos fazer ficar esperando toda vez que os rodamos.

Além disso, a implementação atual da lista de multitarefa deixa muito a desejar. Por exemplo, os aplicativos ficam na prateleira – mesmo que você não os use há dias – até que sejam removidos manualmente. Se você costuma usar muitos aplicativos, a prateleira torna-se mais do que uma lista interminável de ícones, deixando-a menos útil do que mudar de apps pela tela inicial. Uma opção em Ajustes do tipo “Remover apps inativos da prateleira de multitarefa após XX horas/dias” seria ótimo para acelerar o processo.

-Mais recursos de e-mail

É ótimo ver que o iPad finalmente recebeu os melhores novos recursos do app Mail do iOS 4: uma caixa de entrada unificada, múltiplas contas Exchange, conversas por tópico e sincronização de notas. E o Mail no iPhone, iPad e iPod Touch continua a ser um programa sólido que realiza de maneira correta as tarefas mais importantes. Mas não podemos evitar o desejo de que – três anos após a estreia do app – a Apple trouxesse mais alguns recursos comumente pedidos do Mail do Mac OS X para o iOS.

Alguns exemplos incluem a capacidade de marcar todas as mensagens como lidas e apagar todas; enviar para grupos de contatos de e-mail; marcar mensagens e escolher entre várias assinaturas de mensagens. Desejos mais ambiciosos incluem edição de pastas no aparelho, filtragem de e-mails para lixeira, pastas inteligentes e mais controles sobre o texto quando se estiver visualizando e escrevendo mensagens.

-Melhores aplicativos de compartilhamento, sincronização e acesso de dados

Uma das barreiras mais significativas de produtividade do iOS continua a ser a falta de uma maneira robusta dos aplicativos compartilharem dados e documentos com outros apps. A Apple deu alguns pequenos passos na direção certa – com o iOS 3.2 no iPad e o iOS 4 no iPhone e iPod Touch – ao deixar os apps registrarem a si mesmos para tipos particulares de arquivos (por exemplo, PDFs, documentos Words e arquivos de texto). Dessa maneira, quando você recebe um desses tipos de arquivos em, digamos, uma mensagem de e-mail, pode abrir o arquivo em um desses apps que o suportam.

Mas isso é mais um “remendo” do que uma solução – por exemplo, se você quer abrir um documento Word em dois programas diferentes, precisa salvar uma cópia separada desse arquivo em cada aplicativo. Por mais que a Apple pareça tentar evitar isso, o iOS precisa de algum tipo de área central de armazenamento de arquivo na qual os apps possam compartilhar dados e documentos um com o outro.

De maneira parecida, colocar documentos e dados no seu aparelho iOS ainda é complicado, e o processo varia bastante entre aplicativos. Alguns exigem que você arraste documentos para dentro e para fora do iTunes quando seu iPhone, iPad ou iPod Touch está conectado por meio de USB; outros necessitam da sincronização via MobileMe, Dropbox ou outro serviço online, e por aí vai.

A Apple precisa tornar esse processo mais simples e fornecer uma maneira para os desenvolvedores de aplicativos incorporarem esse novo e melhorado método em seus softwares, para que colocar documentos no seu aparelho iOS – e, tão importante quanto isso, conseguir fazer algo com esse dado uma vez que ele está lá – seja tão fácil quanto é em um Mac.

-Agenda sincronizada

A julgar pelo número aparentemente astronômico de aplicativos de calendário disponíveis na App Store – muitos dos quais utilizando programas ou serviço de clouds de terceiros para sincronizar com seu computador – é possível pensar que os sistemas Mac OS X e Windows não incluíram nenhuma maneira de se manter registro das suas tarefas. Mas eles fizeram isso. Na verdade, no Mac, esse recurso é uma parte proeminente do iCal, um programa que, de outra maneira, sincroniza de forma perfeita com seus aparelhos iOS. Já faz mais de três anos Apple – será que nós podemos, por favor, sincronizar nossas tarefas do iCal com nossos iPhones e iPads?

-Sincronização wireless

E-mails, contatos, favoritos, documentos – todas essas coisas podem ser sincronizadas entre seu aparelho iOS e seu Mac (ou ao menos entre seu iPhone ou iPad e um ou mais servidores online). A quantidade de coisas que você consegue transferir pela rede para seu aparelho também não está diminuindo, o que faz com que a necessidade de conectar seu aparelho iOS ao computador, por meio de um cabo físico, parecer algo um tanto primitivo.

Nós podemos entender o fato de não conseguir sincronizar horas de vídeo pela rede 3G da sua operadora, mas se você está em casa, em sua rede Wi-Fi, não seria ótimo se você pudesse passar as suas novas músicas (ripadas de seus CDs ou baixadas no iTunes ou outras lojas do tipo) do Mac para o iPhone, sem precisar conectar nenhum cabo? Ou atualizar seus álbuns de fotos do iPad enquanto está sentado no sofá? A sincronização wireless poderia até ser restrita para arquivos de determinado tamanho ou a uma quantidade particular de dados, para evitar a saturação da sua rede wireless com dezenas de GBs de dados.

-Sem rodar

Um dos recursos mais legais de telefones Android e webOS é a habilidade de os aplicativos realmente realizarem atividades sem serem carregados. Por exemplo, apps sobre o tempo podem exibir a temperatura atual, os de calendários mostrarem sua agenda do dia e os de esportes te manter atualizado com os resultados mais recentes, tudo isso ao exibir as informações na própria tela inicial. Adoraríamos ver opções parecidas nos aparelhos iOS – especialmente na tela de bloqueio, para que pudéssemos ver as principais informações sem precisar destravar o telefone ou rodar um aplicativo.

-Realizar streaming de suas mídias para aparelhos iOS

Um dos nossos recursos favoritos do iOS 4.2 é o AirPlay, que te permite realizar streaming de mídia do seu aparelho com sistema iOS para um componente compatível com o recurso, como a mais recente Apple TV (não lançada no Brasil) ou um AirPort Express. Mas também queremos poder fazer o oposto: realizar streaming de mídia a partir de uma fonte para aparelhos iOS. Por exemplo, um iPad de 32 GB não consegue armazenar os mais de 80GB que você acumulou em seu iMac.

Mas se você pudesse acessar todas essas mídias a partir do seu iPad ao realizar streaming delas pela sua rede Wi-Fi, seria um arranjo muito conveniente (na verdade, a Apple TV te permite realizar exatamente isso, assim como o recurso Home Sharing, do iTunes, em Macs e PCS com Windows). De maneira parecida, adoraríamos poder reproduzir, em nossos aparelhos portáteis da Apple, música e vídeo em drives de rede – como, digamos, um disco rígido conectado a uma estação de base AirPort.

Atualmente, há aplicativos de terceiros no mercado que fornecem tais recursos, mas eles exigem que você rode programas adicionais em seu computador, e, é claro, você precisa rodar apps de terceiros em vez de software nativos do iPod.

-AirPrint

No primeiro preview sobre o iOS 4.2, neste ano, a Apple anunciou o AirPrint, um recurso que finalmente permitiria aos usuários de iPhone, iPod Touch e iPad, imprimirem por meio de uma rede wireless. Algumas semanas depois, a companhia anunciou detalhes do AirPrint, explicando que o recurso te permitiria imprimir diretamente a partir de aplicativos iOS para impressoras HP que possuam o novo recurso ePrint, assim como impressoras conectadas, e compartilhadas por um Mac ou PC com Windows.

Infelizmente, a funcionalidade completa do AirPrint não está presente no iOS 4.2. Você ainda poderá imprimir em impressoras HP com ePrint, mas – ao menos no momento – não poderá imprimir em um impressora compartilhada pelo seu computador (a posição oficial da Apple é simplesmente que com o iOS 4.2 você “pode imprimir diretamente em impressoras compatíveis com o AirPrint sem precisar instalar drivers ou baixar programas”).

No entanto, a companhia não cancelou oficialmente o recurso, por isso, acreditamos que ele simplesmente não estava pronto – e que o veremos em uma futura atualização do iOS 4.

-Chave de orientação física do iPad

Em vez de um recurso há muito esperado, esse é um que foi retirado pela Apple no novo iOS 4.2. A chave de mudança de orientação do iPad (física) era um dos nossos recursos favoritos quanto o tablet foi lançado. Dada a versatilidade do aparelho, você acaba mudando frequentemente entre as posições horizontal e vertical – mas você não quer necessariamente que a tela fique se “mexendo” a qualquer movimento. Por isso ficamos realmente decepcionados com a decisão da empresa de Steve Jobs de retirar essa ferramenta tão útil na nova versão de seu sistema operacional móvel.

E por que isso aconteceu? Nosso palpite é que a Apple queria tornar o iPad e o iPhone mais parecidos, mas essa não é uma razão convincente: o iPad é um aparelho muito diferente de um iPhone, e para muitas pessoas uma trava de orientação no tablet é muito mais útil do que um botão de mudo, por exemplo (sem falar que o iPad já possui um recurso de mudo no hardware: apenas segure o botão de volume para baixo por cerca um segundo.

Gostaríamos de ver a Apple restaurar esse botão para seu propósito original. Ainda mais que o procedimento para “chavear” a trava de tela no iOS 4.2 – que consiste em apertar duas vezes o botão Home, deslizar o dedo, tocar e apertar Home – não é nada prático. Ou que, pelo menos, nos dê uma opção em Ajustes para decidir se a trava deverá ser para mudar a orientação ou o recurso de mudo.

-Os outros

Mesmo tendo escolhidos esses 10 itens acima por votação da maioria da redação, há alguns outros recursos ausentes que também foram “indicados”. Veja abaixo uma lista com alguns desses notáveis:

- Alertas e tons customizáveis

- FaceTime via 3G

- Configuração e integração mais simples com aplicativos do Google

- Modo manual para sincronizar com o iTunes

E é claro que o desenvolvimento do sistema iOS não para com o 4.2.1. Por isso, esperamos ver esses recursos – e muitos outros não citados – nos próximos lançamentos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora
Entre para seguir isso  
Seguidores 0