SERVIDOR DE DOWNLOADS PARA TÉCNICOS!

É técnico? Então você precisa estar atualizado com um serviço de downloads exclusivo e profissional. O Clan SOFT é essencial para técnicos que não tem tempo para ficar procurando firmwares, softwares e procedimentos pela internet, como você.

www.clansoft.net/dl/

Entre para seguir isso  
Seguidores 0
rildo

resistor , e capacitor

3 posts neste tópico

meu amigos, tenho uma duvida sobre capacitores, se esta bom ou ruim como eu faria pra ver se um capacitor esta ruim e tem de ser trocado.. como eu faria pra ver se um resistor esta ruim e tem de ser trocado pois meu multimetro e analogico, pois como posso saber na placa do apc se o resistor esta ruim e tenho de trocar?? estou me perdendo na medição alguem pode me ajudar?? estou com uma placa de um sanssungue j700 l e a plca esta em curto, pois pode ter algum resistor aberto ou capacitor com defeito.. querouma dica dos meus amigos desde ja agradeço....:nenevrujem:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Testando componentes

Saber se um componente está ou não em bom estado é algo que todo praticante de eletrônica deve saber como fazer. Os testes de componentes, em sua maioria, são simples e exigem poucos recursos, no entanto, a maior dificuldade que o técnico encontra está grande variedade de procedimentos que existem para isso. Para cada tipo de componente existe um teste que revela se ele está ou não em bom estado. Como testar os principais componentes e que instrumentos usar para isso é o que veremos neste artigo.

Os iniciantes admiram quando um técnico experiente encosta as pontas de prova de seu multímetro nos terminais de um componente e logo diz se ele está ou não em bom estado, simplesmente observando o movimento da agulha indicadora.

No entanto, para chegar à conclusão de que o componente testado se encontra em determinado estado, é preciso conhecer o componente, e isso nem sempre é entendido pelos que pretendem ser profissionais da eletrônica.

Assim, o movimento da agulha não indica sempre que o componente está bom, e a ausência que ele se encontra ruim: existem situações em que o que ocorre é justamente o contrário!

Como testar componentes?

O primeiro ponto a ser considerado refere-se ao tipo de instrumento que deve ser usado.

O INSTRUMENTO DE TESTE

Evidentemente o instrumento ideal para o teste de componentes é o multímetro, que pode ser do tipo básico analógico como o mostrado na figura 1.

Esse instrumento possui uma agulha indicadora que se movimenta em função da intensidade da corrente que passa pelo componente que está sendo testado.

Para isso é preciso usar a escala OHMS x1, x10 ou outra que o instrumento disponha.

Quanto maior a escala, menor será a intensidade da corrente de prova e resistências mais altas podem ser medidas. Isso significa que a escolha da escala a ser usada num teste depende do tipo de componente que vai ser testado.

Se vamos testar um componente de baixa resistência como um interruptor, um fio ou alto-falante, usamos as escalas mais baixas de resistências (ohms x1 ou x10). Se vamos testar um componente de alta resistência como um resistor de valor alto ou um semicondutor devemos empregar as escalas mais altas (x100 ou x1k), conforme mostra a figura 2.

Please login or register to see this link.

f) Prova de capacitores

Os capacitores não podem ser provados de uma maneira muito segura com o multímetro ou o provador de continuidade. O máximo que estes aparelhos podem detectar é quando existe um curto-circuito entre as suas armaduras.

Assim, os capacitores devem sempre apresentar uma resistência muito alta na

prova de continuidade que é feita conforme mostra a figura 11.

Please login or register to see this link.

d) Resistores

A prova de resistores com o multímetro é a mais confiável, pois podemos ler diretamente o valor do componente escolhendo a escala OHMS apropriada. Para o provador de continuidade o que temos é uma avaliação da resistência pelo brilho do LED.

Please login or register to see this link.

Font. Newton C. Braga, Powered by Joomla!; Joomla templates by SG web hosting

Please login or register to see this link.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Testando componentes

Saber se um componente está ou não em bom estado é algo que todo praticante de eletrônica deve saber como fazer. Os testes de componentes, em sua maioria, são simples e exigem poucos recursos, no entanto, a maior dificuldade que o técnico encontra está grande variedade de procedimentos que existem para isso. Para cada tipo de componente existe um teste que revela se ele está ou não em bom estado. Como testar os principais componentes e que instrumentos usar para isso é o que veremos neste artigo.

Os iniciantes admiram quando um técnico experiente encosta as pontas de prova de seu multímetro nos terminais de um componente e logo diz se ele está ou não em bom estado, simplesmente observando o movimento da agulha indicadora.

No entanto, para chegar à conclusão de que o componente testado se encontra em determinado estado, é preciso conhecer o componente, e isso nem sempre é entendido pelos que pretendem ser profissionais da eletrônica.

Assim, o movimento da agulha não indica sempre que o componente está bom, e a ausência que ele se encontra ruim: existem situações em que o que ocorre é justamente o contrário!

Como testar componentes?

O primeiro ponto a ser considerado refere-se ao tipo de instrumento que deve ser usado.

O INSTRUMENTO DE TESTE

Evidentemente o instrumento ideal para o teste de componentes é o multímetro, que pode ser do tipo básico analógico como o mostrado na figura 1.

Esse instrumento possui uma agulha indicadora que se movimenta em função da intensidade da corrente que passa pelo componente que está sendo testado.

Para isso é preciso usar a escala OHMS x1, x10 ou outra que o instrumento disponha.

Quanto maior a escala, menor será a intensidade da corrente de prova e resistências mais altas podem ser medidas. Isso significa que a escolha da escala a ser usada num teste depende do tipo de componente que vai ser testado.

Se vamos testar um componente de baixa resistência como um interruptor, um fio ou alto-falante, usamos as escalas mais baixas de resistências (ohms x1 ou x10). Se vamos testar um componente de alta resistência como um resistor de valor alto ou um semicondutor devemos empregar as escalas mais altas (x100 ou x1k), conforme mostra a figura 2.

[ATTACH=CONFIG]14833[/ATTACH] [ATTACH=CONFIG]14834[/ATTACH]

f) Prova de capacitores

Os capacitores não podem ser provados de uma maneira muito segura com o multímetro ou o provador de continuidade. O máximo que estes aparelhos podem detectar é quando existe um curto-circuito entre as suas armaduras.

Assim, os capacitores devem sempre apresentar uma resistência muito alta na

prova de continuidade que é feita conforme mostra a figura 11.

[ATTACH=CONFIG]14835[/ATTACH]

d) Resistores

A prova de resistores com o multímetro é a mais confiável, pois podemos ler diretamente o valor do componente escolhendo a escala OHMS apropriada. Para o provador de continuidade o que temos é uma avaliação da resistência pelo brilho do LED.

[ATTACH=CONFIG]14836[/ATTACH]

Font. Newton C. Braga, Powered by Joomla!; Joomla templates by SG web hosting

Otimo post, so completando que para ter uma medição exata tem que retirar o componente e testar, pois se testar com ele na placa ele nao vai estar medindo

somente o componente ( supostamente defeituoso) e sim mais componentes que estao em serie.

Se tem uma placa em curto eu aconselho ver onde ela esta esquentando e partir dali.

Espero ter ajudado. Bom trabalho

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora
Entre para seguir isso  
Seguidores 0