SERVIDOR DE DOWNLOADS PARA TÉCNICOS!

É técnico? Então você precisa estar atualizado com um serviço de downloads exclusivo e profissional. O Clan SOFT é essencial para técnicos que não tem tempo para ficar procurando firmwares, softwares e procedimentos pela internet, como você.

www.clansoft.net/dl/

Entre para seguir isso  
Seguidores 0
Diego Alan

Operação desarticula quadrilha que contrabandeava carros de alto luxo

3 posts neste tópico

Operação desarticula quadrilha que contrabandeava carros de alto luxo

Olha a promoção: um carro de luxo que custa R$ 600 mil é colocado à venda por R$ 300 mil. Você desconfia ou compra? Jogadores de futebol e cantores compraram e agora vão ter de dar explicação para a Polícia Federal e para a Please login or register to see this link. . Nove pessoas estão foragidas e 40 carros foram apreendidos.

O jogador Emerson Sheik, hoje no Corinthians, não foi encontrado pelos investigadores e tem apenas mais um dia para entregar o carro importado, um luxuoso Chevrolet Camaro. Diguinho, do Fluminense, aparece ao lado do BMW X-6 poucos dias antes da operação. Kleberson, do Atlético Paranaense, usava um GMC Hummer, também apreendido.

Procuradores dizem que investigam jogadores do Flamengo e do Botafogo. O cantor Latino é outro que não foi encontrado e tem até terça-feira (11) para apresentar à Receita Federal um Cadillac Escalade.

“Os indivíduos que compraram esses carros sabiam, na maior parte. A gente tem certeza disso: que eles sabiam que o automóvel era usado”, afirma o procurador Antônio Cabral, do Ministério Público Federal.

O Ministério Público Federal também pediu uma investigação sobre o cantor Belo. O motivo: segundo a polícia, vários telefonemas gravados citam o cantor. Os carros contrabandeados vinham quase sempre de Miami, nos Estados Unidos, e entravam no Brasil principalmente pelos portos do Recife, Vitória e Rio de Janeiro.

A investigação revelou uma ligação estreita entre mafiosos do Brasil e do exterior. O principal negócio entre eles era o contrabando de carros de luxo usados. A lei brasileira só permite a importação de automóveis zero quilômetro.

O israelense Yoram el Al foi um dos presos na operação conjunta da Please login or register to see this link. e da Receita Federal na última sexta-feira (7). Yoram era um dos principais fornecedores dos carros vendidos na loja de Haylton Escafura, filho do contraventor José Escafura, o Piruinha, que está foragido.

Os negócios eram fechados quase sempre em dinheiro vivo para facilitar a sonegação fiscal e a lavagem de dinheiro da quadrilha. Conversas telefônicas gravadas com autorização da Justiça mostram negociações de até R$ 1,7 milhão.

“Todos os indivíduos que realizaram essas importações responderão pelos delitos de contrabando nesse primeiro momento. Caso seja comprovado, também responderão pelo delito de sonegação fiscal”, declarou o procurador Antônio Cabral, do ministério Público Federal.

Os cantores Belo e Latino e o jogador Kleberson, do Atlético Paranaense, afirmaram em nota que não sabiam das irregularidades na compra dos carros. Também em nota, o jogador Emerson, do Corinthians, disse que vendeu o automóvel há quatro meses.

Por telefone, o assessor do jogador Diguinho, do Fluminense, informou que o carro vai ser devolvido ao jogador, porque a Receita Federal teria concluído que a documentação do veículo é regular.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O tal Israelense preso teve filho na cadeia por inseminação para não ser extraditado

O israelense Yoram El Al, preso na megaoperação da Polícia Federal desta sexta-feira (7), conseguiu ficar no Brasil apesar de ter pedido de extradição para os Estados Unidos, em 2006, utilizando-se de um expediente fantástico e aproveitando-se de uma brecha da lei.

Mesmo preso, ele conseguiu que seu sêmen fosse colhido no presídio e que isso resultasse em uma gravidez por inseminação artificial com uma brasileira. A operação à distância deu origem a um filho nascido no País. O Brasil não extradita pessoas com filhos brasileiros. Dessa maneira, o Supremo Tribunal Federal não autorizou a sua extradição.

Beneficiado por essa primeira decisão, o israelense não deve ser extraditado para os Estados Unidos nem para o Uruguai, dois países que reclamam a sua prisão internacionalmente, como mostra a página da Interpol na internet.

O mais provável é que, caso seja condenado, cumpra pena aqui no Brasil. Ele responde no processo por diversos, como contrabando, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, formação de quadrilha e evasão de divisas.

Tecnicamente, ele poderia até ser expulso pelo governo brasileiro, devolvido a Israel, sem cumprir pena, mas isso é procedimento normalmente adotado para casos de pequenos crimes, em que não compensa manter no País um prisioneiro, tendo em vista o baixo potencial ofensivo.

O mais provável é que, caso seja condenado, cumpra pena aqui no Brasil

Vamos ver se ele vai ser condenado mesmo agora!!!!!!

Brasil....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora
Entre para seguir isso  
Seguidores 0