Ir para conteúdo
Compartilhamento de Links do Clan SOFT em Grupos de WhatsApp Leia mais... ×

Entre para seguir isso  
Reginaldo SanTana™

Lei pode tornar obrigatório fornecer CPF para acessar a internet em todo o país

Posts Recomendados

Imagine que a cada vez que iniciar uma conexão à internet, na sua própria casa, você seja obrigado a fornecer o seu número de CPF, junto com outras informações pessoais, para que a navegação seja liberada. Essa é a proposta do Projeto de Lei 2.390/2015, criada em 2015 pelo deputado Pastor Franklin, e que está tramitando no Congresso.

Com a criação do "Cadastro Nacional de Acesso de Internet", a lei obrigaria que fabricantes de computadores, smartphones e outros dispositivos com acesso à internet instalem um aplicativo para o cadastro dos usuários no novo sistema. A justificativa? Proteger crianças e adolescentes de "conteúdos impróprios".

Proposta

O texto descreve um cenário em que a internet possui uma proliferação de sites com "temáticas inadequadas ao público infantil ... expondo crianças a conteúdos de violência, sexo e nudez". Afirma que mantenedores dos sites "se aproveitam da vulnerabilidade dos jovens internautas para tentar incutir valores e padrões de comportamento prejudiciais à boa formação da personalidade".

 

Citar

O sistema proposto operará da seguinte forma: toda vez que uma criança ou adolescente (ou uma pessoa estranha ao cadastro) acessar um sítio impróprio na internet , um aplicativo instalado em seu computador ou celular bloqueará automaticamente o acesso a esse conteúdo

Através do preenchimento do CPF, o aplicativo seria capaz de bloquear tais conteúdos em caso de acesso por usuários menores de idade. A pena para aqueles que fornecerem acesso sem o sistema, seria de multa de R$ 1.000 a 3.000, sendo dobrada em caso de reincidência.

Além disso, o Estado seria obrigado a criar e fazer a manutenção de uma lista de sites considerados inapropriados. Por consequência do cadastro de usuários, o projeto de lei visa uma relação com todos os usuários de internet do Brasil.

 

Objeção

Preocupado com o modo que esse sistema poderá ser usado, o Instituto Beta para Internet e Democracia (Ibidem) afirma que a lei abriria brechas para decisões que comprometem a liberdade de expressão e de comunicação.

 

Citar

Qualquer conteúdo publicado na internet estaria passível de ser censurado para crianças e adolescentes, o que poderia atingir conteúdos relevantes de cunho político e social, como discussões e informações sobre questões de gênero e sexualidade

Muito antes de causar algum problema na liberdade de expressão dos usuários e causar a ameaça de um estado de vigilância, a própria implementação do projeto seria onerosa. Os gastos para a criação do sistema seriam elevados, tanto para empresas que seriam obrigadas a instalar o aplicativo, quanto para o governo, na manutenção e fiscalização do serviço em todo o país.

Além disso, burlar o sistema não seria difícil. Aos interessados em acessar os conteúdos bloqueados, seria simples realizar a tarefa, de modo que a preocupação real é o monitoramento de praticamente todos os que acessam a internet no país.

O projeto estava para ser aprovado pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) na quarta-feira (5), mas houve pedido de vista dos deputados André Figueiredo (PDT-CE), João Daniel (PT-SE) e Sandro Alex (PSD-PR). O texto ainda será encaminhado para aprovação nas comissões de Seguridade Social e Família (CSSF) e Finanças e Tributação (CFT).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
Entre para seguir isso  

×